Seja o "eco" da SPECO

Nasce a SIBECOL, uma sociedade científica que juntará profissionais da Península Ibérica de todas as áreas da ecologia

No dia 2 de Julho foi assinada a acta de constituição da nova Sociedade Ibérica de Ecologia (SIBECOL) que agrupa mais de dois mil profissionais de Espanha e Portugal de todas as áreas da ecologia (terrestre, marinha e águas continentais). A assinatura teve lugar no Instituto de Ciências do Mar de Barcelona, instituição que irá hospedar a sede da SIBECOL.

 

 

Esta nova sociedade foi promovida por quatro associações científicas espanholas e portuguesas, a Asociación Española de Ecología Terrestre (AEET), a Asociación Ibérica de Limnología (AIL), a Sociedade Portuguesa de Ecología (SPECO) e a Sociedad Española de Etología y Ecología Evolutiva (SEEEE), com o apoio de uma importante representação da comunidade de científicos/as marinhos espanhóis que ainda não estavam integrados em nenhuma sociedade espanhola. "Juntar numa mesma sociedade investigadores dedicados aos ecossistemas terrestres e marinhos permitirá a existência de uma maior colaboração entre especialistas. Esta colaboração é imprescindível para combater, de forma estruturada, os objectivos científicos e sociais, e especialmente os relacionados com a alteração global", aponta Cèlia Marrasé, investigadora científica do Institut de Ciències del Mar de Barcelona (CSIC).

Entre os principais objectivos desta nova sociedade de ecólogos e ecólogas ibéricas está o grande problema da sustentabilidade ambiental, consequência, entre outros factores, da perda de biodiversidade, dos efeitos da alteração climática, da deterioração da qualidade da água ou da alteração de usos e da fragmentação do território. Por isso, um dos principais desafios da SIBECOL é trabalhar de forma conjunta para entender o funcionamento dos ecossistemas terrestres e marinhos, desenvolver iniciativas que possam melhorar a gestão da natureza e mitigar o impacto negativo exercido sobre os ecosistemas e os recursos em resultado da sua exploração pela sociedade.

 

Uma voz comum perante instâncias nacionais e internacionais

"A união faz a força", defende Adolfo Cordero, presidente de SEEEE. Um fim em si mesmo, que fica reflectido nos estatutos de SIBECOL, os quais contemplam como objetivo principal a colaboração entre ecólogos e ecólogas de todos os âmbitos da Península Ibérica para "constituir uma voz comum capaz de incidir nas decisões sobre política de meio ambiente nacional e internacional”, assume Francisco Lloret presidente de la AEET. A este respeito, Maria Amélia Martins-Loução, presidente da SPECO, assinala ainda as vantagens decorrentes do aumento da massa crítica dos ecólogos ibéricos que permitirá uma maior projecção internacional das investigações que se realizam e um maior peso na defesa e difusão dos valores ecológicos e da sustentabilidade ambiental e social a nível ibérico". Também Antonio Camacho, presidente da Asociação Ibérica de Limnología (AIL) até há poucos dias e impulsionador da SIBECOL, assinala que “a especificidade dos ecossistemas mediterrânicos, a grande biodiversidade que alberga a Península Ibérica, e a intensidade das interacções entre os meios terrestres, aquáticos continentais, e marinhos, torna imprescindível o trabalho conjunto nesta nossa área geográfica, com vista à manutenção dos valores naturais, os serviços que a natureza nos presta, e a melhoria da sustentabilidade das acções humanas”, ratifica a nova presidente da AIL, Núria Bonada.

Entre os objectivos principais desta nova Sociedade está também a difusão entre a sociedade e as instituições o conhecimento de um colectivo muito amplo de científicos dentro do campo da Ecologia. Segundo conta Francisco Lloret "a criação desta nova sociedade é uma aspiração de muitos anos que vai permitir, entre outras coisas, impulsionar acções ou actividades conjuntas de ligação directa com a administração e a cidadania para levar informação científica e apoio na tomada de decisões ligadas ao meio ambiente".

 

A SIBECOL celebrará o seu primeiro Congresso fundacional em Fevereiro de 2019

 

O pontapé de saída da SIBECOL será um congresso fundacional a ter lugar de 4 a 7 de Fevereiro 2019, coincidindo com o centenário do nascimento de Ramón Margalef, considerado pioneiro e "pai" da ecologia em Espanha. O evento realiza-se na Universitat de Barcelona (UB), lugar onde o insigne ecólogo desempenhou o seu trabalho como docente e investigador. Contará para além disso com o apoio do Centre de Recerca Ecològica i Aplicacions Forestals (CREAF), da Universitat Autònoma de Barcelona, a Universitat de Girona (UdG), do Institut Català de Recerca de l'Aigua (ICRA), do Institut de Ciències del Mar (ICM-CSIC) e do Centre d'Estudis Avançats de Blanes (CEAB-CSIC). Este congresso corresponderá ao XIV Congresso da Asociación Española de Ecología Terrestre (AEET).

Entre as actividades da SIBECOL está a organização de inúmeras actividades educativas e científicas sobre ecologia e meio ambiente como é o caso deste Congresso, a criação de grupos de trabalho para o desenvolvimento de conhecimentos e métodos, ou a gestão de publicações e outros sistemas de divulgação através das revistas científicas Ecosistemas, Ecologi@, Limnetica e Scientia Marina.

 

Siga a SIBECOL no facebook e no twitter!