Prémio Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias - 2018
Seja o "eco" da SPECO

Iniciativas

Évora: A flora espontânea dos olivais tradicionais

Parceria: Sociedade Portuguesa de Botânica
Data: 30 de Abril

Descrição: Percurso pedestre num olival tradicional. Os olivais tradicionais e outros sistemas agrícolas de sequeiro do Alentejo albergam um conjunto de espécies de plantas silvestres que se encontram em declínio acentuado devido às alterações do uso do solo, nomeadamente a intensificação agrícola associada à expansão do olival intensivo de regadio. A flora espontânea que aí habita é composta essencialmente por plantas anuais outrora consideradas “infestantes” mas que agora estão a desaparecer tal como as práticas tradicionais de que dependem - lavra ocasional da terra e práticas de sequeiro. Ao longo de um percurso pedestre vamos conhecer estas comunidades de plantas que vivem tão intimamente ligadas a estes habitats geridos pelo homem, tentando compreender a sua ecologia e a sua actual vulnerabilidade.

Leiria: Biodiversidade em Vale de Poios

Parcerias: TAGIS e cE3c/FCUL
Data: 30 de Abril

Descrição: Visita guiada à Estação da Biodiversidade de Vale de Poios. As Estações da Biodiversidade são percursos públicos, com uma extensão máxima de 3 km, sinalizados no terreno através de painéis informativos sobre a riqueza biológica a observar pelos visitantes. A rede das estações da biodiversidade é actualmente constituida por 37 estações espalhadas por Portugal Continental. O passeio será orientado pela bióloga Patrícia Garcia-Pereira, mentora e dinamizadora doprojecto Estações da Biodiversidade.

Santarém: Morcegos dos Olhos de Água do Alviela

Parcerias: cE3c/FCUL e Centro Ciência Viva do Alviela
Data: 30 de Abril

Descrição: A actividade (visita guiada) decorrerá ao final da tarde / início da noite junto a um importante abrigo de morcegos cavernícolas. Inicia-se com uma breve palestra introdutória sobre os morcegos em Portugal e no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, seguindo-se a observação destes animais durante a saída do seu abrigo. Durante a actividade estarão disponíveis detectores de ultra-sons que permitirão aos participantes ouvir os sons de ecolocalização emitidos pelos morcegos durante o voo.

Castelo Branco: Anilhagem científica de aves no Tejo Internacional

Parceria: QUERCUS
Data: 9 e 10 de Abril
Descrição: Identificação de aves e anilhagem científica. Esta actividade terá lugar numa reserva da Quercus em pleno parque natural do Tejo Internacional em Castelo Branco. Os participantes vão poder em todo o processo de anilhagem de aves, nomeadamente a montagem das redes japonesas, revisão das mesmas, identificação das espécies, determinação do sexo, idade, e condição corporal, anilhagem e recolha de biometrias. A atividade tem duração de um fim-de-semana.

Évora: As pastagens biodiversas e o sequestro de carbono

Parceria: Terraprima
Data: 2 de Abril

Descrição: Visita de campo às pastagens semeadas biodiversas, explicando o seu funcionamento ecológico e a sua importância agronómica e ambiental. Actividade desenvolvida no âmbito do projecto Terraprima - Fundo Português de Carbono. A Terraprima Ambiental é uma spin-off do Instituto Superior Técnico que também comemora os 20 anos, dedica-se à concepção e implementação de sistemas integrados de compensação de impactes ambientais decorrentes das actividades humanas. Entre as suas actividades contam-se a gestão de projectos de remuneração de serviços ambientais proporcionados por boas práticas de gestão do solo, nomeadamente Pastagens Semeadas Biodiversas.