Mais informaçoes: info@speco.pt

Ecologi@ - Revista Online da Sociedade Portuguesa de Ecologia, Número 6, Ecologia Urbana

 

 

A ecologia estuda as interacções entre as espécies vivas e o meio em que habitam. Emergiu no séc. XVIII com Darwin como impulsionador, tem vindo a integrar áreas tão diversas como a biologia, a físico-química, a matemática, e, devido ao impacto do desenvolvimento no meio natural, as ciências sociais, a economia e a política. Nos anos sessenta a importância que a preservação do ambiente assume confere à ecologia um impulso substancial, torna-se não apenas uma área científica, mas uma atitude, um modo de pensar, e mesmo, uma ideologia. Intensamente associada à conscientização dos impactes resultantes da crescente industrialização.

Este número foca-se na ecologia urbana olhando, nomeadamente, para a acção antropológica sobre o ambiente. Esta surge com a Escola de Chicago que aplica princípios teóricos da ecologia vegetal e animal a comunidades humanas, explicando o uso selectivo que os grupos humanos fazem do espaço. O nome ecologia humana aparece pela primeira vez em 1925, na obra The City, Suggestions for investigation of Human Behavior in the Urban Environment, de Park,  Burgess e Mckenzie que adotaram conceitos biológicos como invasão, sucessão e dominação para compreender as transformações urbanas e as mudanças populacionais a ocorrerem na cidade de Chicago. A sobrevivência do planeta está intrinsecamente ligada ao futuro da espécie humana. Nesta linha esta componente da ecologia - a ecologia urbana - assume um papel fulcral levando-nos a reflectir, compreender e desenvolver estratégias de futuro, com futuro. O rápido aumento da população urbanizada, o crescimento de metrópoles de grande dimensão e os desafios económicos, sociais e ambientais que as áreas urbanas colocam justificam a relevância que tem sido dada ao tema. A complexidade dos problemas que as áreas urbanas enfrentam, o seu crescimento e os desafios que se colocam num contexto uma sociedade multicultural exigem que se substitua uma visão sectorial, por uma abordagem holística que considere o desenvolvimento sustentável nas suas vertentes económica, social e ambiental. A ecologia urbana está portanto na ordem do dia.

 

Lia Vasconcelos (Co-Editora) & Iva Miranda Pires (Editora Associada)

Foto: L. Vasconcelos

 

 

Versão integral em pdf

Capa revistaecologia 6

 

 

 

Entrevista

 

Destaques

Resilient Cities 2013 debate questões relacionadas com stakeholders e segurança alimentar

Monsanto desiste de cultivar novos transgénicos na união europeia

 

Artigos de Divulgação

Articular Instituições para uma gestão integrada e mais efetiva

A cratera do Ngorongoro e a fauna africanaoro e a fauna africana

 

Artigos de Revisão

Sobre o rosto humano da Ecologia

 

Artigos Científicos

As áreas verdes no ambiente periurbano

O conceito de Resiliência no contexto dos sistemas socio-ecológicos

 

Casos de Estudo

O Índice de Biodiversidade nas Cidades como ferramenta para gestão: o caso da cidade de Lisboa 

 

Teses e Projectos

Acesso aos recursos genéticos, partilha dos benefícios e biopirataria - Contributo para uma política pública participada em Portugal

O homem e o habitat: Território, poderes públicos e conflitos ambientais

Participação pública em processos controversos de decisão ambiental - Caso de estudo da co-incineração em Souselas