A SPECO promove um prémio para recém doutorados como forma de valorizar o trabalho desenvolvido ao longo do seu programa doutoral.

Este prémio só é possível devido à generosidade de uma Fundação privada, a Fundação Amadeu Dias, desperta para os desafios do interesse público que, numa feliz convergência de função social e de lucidez, foi possível encaminhar para satisfazer um sonho de há muito da SPECO.

Esta é, pois, uma maneira de valorizar o trabalho dos nosso jovens doutores, através de um programa posto a concurso, que será escrutinado por um júri idóneo que, com criteriosa seriedade avaliará as propostas submetidas. Os jovens doutorados terão de ser sócios da SPECO e terão à sua disposição um regulamento exigente, mas transparente, que pretende funcionar como incentivo à investigação ecológica. Serão atribuídos três prémios, no valor de 3000€, 2000€ e 1000€, respectivamente para o primeiro e segundo e terceiro prémio, e dois anos de quotas SPECO.


Este prémio é o resultado de um fundo de recursos adicionais, colocado à disposição de quem do mérito der provas, para que possa valorizar o esforço desenvolvido durante o seu trabalho de doutoramento. Representa, acima de tudo, um exemplo de parceria empenhada num exercício consistente de desenvolvimento científico e social, graças ao atento patrocínio da Fundação Amadeu Dias. É um passo tentativo, sim, mas é um passo que temos de agradecer, robustecer e mobilizar esforços, para que esta iniciativa se firme e afirme, cresça e frutifique.

A valorização que o Prémio de Doutoramento em Ecologia adquiriu desde 2017, deve-se, não só, à distinção dos foram homenageados, como aos investigadores que compõem o seu júri.

Júri do Prémio Ecologia

  • Maria Amélia Martins-Loução, SPECO
  • João Gonçalves, FAD
  • Henrique Cabral, MARE
  • Helena Freitas, CFE
  • Joaquín Hortal, MNCN (CSIC) & cE3c
  • Margarida Reis, cE3c
  • Myriam Lopes, CESAM